Como se fabrica balão parte I

Salve, salve, queridos amigos do ESBD.

A partir desta semana, ESBD vai apresentar uma série de vídeos sobre como se fabrica um balão. Os processos variam, e o método brasileiro para fabricar balão difere do resto do mundo. Mas vale a pena ver estes vídeos, observando como se processa este nosso querido companheiro de trabalho.

O primeiro vídeo é como é feito o balão Qualatex.

Outro fabricante de balões postou o seu processo de fabricação no Youtube. A Everts Balloon Campany apresenta todo o processo com detalhe da sua fabricação.

Clique aqui para ver o vídeo.

O processo de fabricação brasileiro é linear, ao contrário do processo americano. A velocidade de fabricação do balão brasileiro é muito maior que a americana, entretanto cada um tem as suas vantagens e desvantagens.

Tive o prazer de visitar duas fábricas nacionais, e as duas tem o processo similar. A maioria das máquinas tem segredos de fábrica para fábrica. Alguns procedimentos diferentes pode afetar o nosso dia a dia:

- Balão mais brilhante passa por um tratamento diferente na máquina de batimento (que faz a limpeza dos balões). Produtos são adicionados para dar aquele "brilho a mais", no entanto pode comprometer a durabilidade dos mesmos.

- Balão com fôrma redonda e fôrma achatada dá a diferença dos balões redondos e de combate. Fácil de verificar na embalagem. Balões que ficam no formato de chapa, são de combate. Os redondos ficam em um formato que parecem amassados.

- Balões no formato gota (americano) e mais arredondados (mexicano) também trazem diferenças na montagem. O de gota dá mais facilidade na montagem de guirlanda, e os redondos escondem mais os canos em um arco, por exemplo.

- Balões com mais pó (menos tratamento no batedor) normalmente dá mais durabilidade ao mesmo.

- Balões maiores são feitos manualmente, já que a máquina teria de ser gigantesco.

- Quanto mais fino o balão, mais enche e fica maior, mas mesmo assim não quer dizer que dura menos.

- Os americanos e mexicanos preferem balões transparentes, e os brasileiros preferem cores mais fechadas. Para "fechar" a cor, mistura-se com branco.

- O pigmento misturado ao látex tem preços diferentes. A cor vermelha e roxa é as mais caras e as brancas a mais barata. Cada tipo de pigmento pode alterar a qualidade do balão em termos de resistência.

- Para que o balão fique com a cor perolada, mistura-se ao látex pó de vidro.

- As embalagens brasileiras são na maioria composta de 50 balões. As americanas mudaram de 1 grosa (144) para 100 unidades em cada embalagem. As mexicanas continuam com uma grosa.

- Tem dois profissionais muito importantes no processo de fabricação. O Químico e o gerente de produção. O Químico detém os segredos da formulação do balão, além de acompanhar o processo da máquina, determinando o tempo de cada operação, a temperatura e os ingredientes agregados na fabricação.

- A temperatura do ambiente pode afetar a qualidade do balão.

- O processo de endurecimento do balão se chama vulcanização.

- O começo do processo é bem mal cheiroso por conta da amônia, que evita do látex vulcanizar.

- Não tenho certeza, mas se alguém tomar látex e ocorrer um processo de vulcanização no estômago, provavelmente vai defecar com as fezes embaladas. Se sair inflado, pode ter resultados desastrosos.

Na próxima série, como imprimir balões.

 

Voltar à lista de Notícias